25 de novembro de 2017
Home | CULTURA POP | Cinema | Criolo no Cinema [Vídeo-Entrevista]

Criolo no Cinema [Vídeo-Entrevista]

 

Criolo é um grande músico, seus álbuns de uns anos pra cá tem feito bastante sucesso e ele é considerado um dos principais MC’s da atualidade. Sua música, apesar de ter origem no hip hop, transcende esse estilo e atinge tanto as camadas mais pobres como as mais privilegiadas da sociedade. O cara é MC, músico e um artista que milita já há algum tempo pela cultura no Brasil, principalmente pela disseminação da cultura nas periferias.

Até aí nenhuma novidade. Mas o que muita gente não sabe é que Criolo também é ator, e já participou de quatro filmes: “Profissão MC” (2009), Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha (2012), “Tudo Que Aprendemos Juntos” (2015), “Jonas” (2015), além de estar no elenco de O Juízo, filme de Andrucha Waddington que ainda não foi lançado.

A entrevista, realizada pela jornalista Viviane Ávila e cedida gentilmente para veiculação aqui no Amplifique-se, está dividida em duas partes. Na primeira (acima), Criolo fala da sua impressão sobre cinema no Brasil e os efeitos da sétima arte para quem vive na periferia, além de contar também como foi sua participação no filme “Profissão MC” (2009), dirigido por Alessandro Buzo.

Já na segunda parte (abaixo), o artista conta sobre seu trabalho em  “Tudo Que Aprendemos Juntos”, filme de 2015 dirigido por Sérgio Machado e protagonizado por Lázaro Ramos.

Clica no PLAY!!!

Entrevista, Roteiro e Direção: Viviane Ávila
Imagens: André Lucas Almeida e Jardiel Carvalho
Assistente de Câmera: Vanessa Gomes
Montagem e Finalização: Victor Guerra/@broncafilmes
Agradecimentos: Oloko Records, Fernando Império e Salada de Cinema

 

Sobre Cristiano Boti

Cristiano Boti
Filho da Leninha, pai da Belinha e do pequeno Sam, sãopaulino chato e baterista das bandas Lunatone e Gil Sant'Anna. Designer gráfico formado pela vida com pós-graduação nas ruas de São Paulo. Apreciador de boa música e de bons filmes. Fã de Jorge Ben, Beastie Boys, Tarantino e Chaplin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *