18 de janeiro de 2018
Home | Ponto de Vista | Dia Internacional da Mulher é dia de luta!

Dia Internacional da Mulher é dia de luta!

Ap-y4EdTWhzeabuyZcCFUqDN2qP68kbZ9_f6TVLOXoyC

Aos perdidaços, uma breve explicação:  O dia Internacional da Mulher surge no contexto da Revolução Industrial  e da Segunda Guerra mundial, quando ocorre a incorporação de uma maciça  mão-de-obra feminina na indústria, levando uma série de protestos de operárias contra as más condições de trabalho. A data foi escolhida em memória às vitimas do incêndio na fabrica Triagle Shiwaist, que deixou 146 mortos, sendo 129 mulheres.

Então, o Dia Internacional da Mulher é uma data carregada de significado e surge com a ideia de refletirmos a respeito das conquistas femininas ao longo dos séculos. No entanto essa celebração  perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial, e embora muitos acreditem, a data nada tem a ver com perfumes, flores e chocolates.

Avaliem comigo alguns dados:

–  Há 84 anos, nós mulheres brasileiras,  ganhamos o direito ao voto. Porém votavam só as casadas e com autorização do marido. Solteiras e viúvas só se tivessem renda própria. E somente dois anos depois essas restrições foram retiradas.

– Há 54 anos uma mulher casada era considerada judicialmente incapaz.

– Há 39 anos ganhamos o direito de nos divorciar;

– Há 27 anos ganhamos o direito a igualdade nas relações conjugais;

– Até 14 anos atrás um cara podia pedir anulação do casamento caso descobrisse que a mulher não era mais virgem;

– Há apenas 10 anos foi criada a Lei Maria da Penha, que pune crimes de violência domestica;

Ou seja, vocês acham mesmo que o que nós mulheres precisamos é de flores e chocolates? Ou que movimentos como o feminismo são desnecessários?  Ainda falta uma quantidade imensa de direitos a serem conquistados.

A legalização do aborto, o fim dos femicídios, salários iguais, o fim desses estereótipos malucos que só servem pra nos manter sob controle… são apenas uma gota no oceano do que nos falta, e o dia Internacional da Mulher representa justamente essa luta inacabada do feminismo.

A muito pouco tempo não podíamos frequentar a escola, não podíamos opinar, escolher o que queríamos para o nosso futuro, nem decidir sobre nossos próprios corpos.  Hoje, somos maioria nas escolas  e universidades.
Somos arquitetas, designers, engenheiras, biólogas, médicas. Somos o que quisermos ser!

Crescemos e vamos continuar lutando por direitos iguais. Porque somos mulheres!

Sobre Bárbara Andrade Barioni

Bárbara Andrade Barioni
Arquiteta e Urbanista tentando terminar um mestrado, vegetariana, mãe de gatos, viciada em comprar livros e mochileira nas horas vagas. Sente que sua missão é questionar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *