20 de novembro de 2017
Home | CRIATIVOS | Consumidor pagaria 15% a mais por marcas que tenham propósito.

Consumidor pagaria 15% a mais por marcas que tenham propósito.

Consumidor pagaria 15% a mais por marcas que tenham propósito.

Durante o Festival Path, último final de semana (14 e 15 de maio), Ana Couto, CEO da Ana Couto Branding, e Paulo Secches, presidente da Officina Sophia apresentaram um estudo inédito que discute o papel das marcas dentro da sociedade contemporânea e a razão pela qual marcas com propósitos claros estão ganhando cada vez mais espaço dentro do mercado.

Mas afinal o que é propósito? Confira abaixo no vídeo.

A mudança acontece a todo instante, atualmente a forma com que consumidores enxergam as marcas  tem se modificado, e continuará nesse processo de mutação. A comunicação também é outra, novas plataformas, diversas possibilidades e com isso todo o eco-sistema teve que se adaptar a essa realidade. Por isso a grande importância de entender como clientes percebem as marcas.

“A prática do capitalismo consciente não se resume a ser virtuoso ou a trabalhar bem para fazer o bem. “Trata-se de uma nova forma de pensar o negócio, com muito mais consciência de seu propósito maior, de seus impactos sobre o mundo e de suas relações com os diversos públicos e stakeholders. Reflete uma noção mais profunda sobre a razão da existência das empresas e como elas podem criar mais valor” comenta a executiva Ana Couto.

Paulo Secches, comenta que as Marcas devem transcender seus objetivos de lucros, sem negá-los. “Marcas de Propósito devem ser autênticas e comprometidas com a vida dos indivíduos, com ações e práticas concretas. Identificamos no estudo, que as pessoas percebem claramente as Marcas que já estão se relacionando em outro patamar com os indivíduos, o que gera uma predisposição a pagarem mais por elas”.

O estudo levou em consideração três ondas de relacionamento entra marca e consumidor:

  1. Empresas que só têm intenção de gerar awareness e vender;
  2. Marcas que, além da preocupação em vender, mostram interesse em criar conexões emocionais com seus públicos de relacionamento e de se tornarem relevantes na vida das pessoas;
  3. Marcas com um propósito claro, ou seja, que tem uma verdadeira conexão com os valores mais importantes do consumidor.

Também é importante saber quais estágios ou gerações de Marca existem na cabeça dos Consumidores, são eles:

Fonte: Estudo Tip
Fonte: Estudo Tip

Antes de passarmos aos números, uma informação importante. O Brasil ocupa atualmente a 9º economia do mundo; Mas nenhuma marca nacional está no TOP 100 das marcas mais valiosas. Tem algo errado né?

O gráfico abaixo mostra as treze marcas mais valiosas do mundo.

rank das marcas mais valiosas do mundo

Após entrevistarem 1088 casos on-line, nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Do gênero feminino e masculino e das classes A, B e C entre 18 a 59 anos. E 10 entrevistas com experts do mercado: Sociólogos, especialistas em marca, profissionais de Marketing e líderes de empresas.

O estudo apresenta resultados incríveis, confira abaixo.

Na onda 1, as empresas que mais se destacam são as do segmento de Varejo e Telecom. Mas saúde e financeiro também aparecem nessa primeira onda. Vivo, Net, Tim e Oi lideram o ranking. Nessa onda, os cliente não enxerga o interesse da marca em satisfazer ou fidelizar o cliente.

Na onda 2, Varejo e tecnologia são os segmentos mais citados e empresas como Livraria Cultura, Drogasil, Azaleia e Sony. Os clientes já conseguem identificar em algumas marcas a tentativa de se relacionar a partir de um diálogo mais aberto e de mão dupla, segundo estudo.

Na onda 3, alimentos, bebidas não alcoólicas, beleza e tecnologia são os setores lideres. Já na analise por marca, Natura e O Boticário aparecem na frente seguidas por Apple e Nestlé. Já nesse caso ha uma alteração no cenário, pois trata-se de marcas que, na opinião dos entrevistados, além de entregarem produto e relevância, se relacionam com o mundo (e com eles) dividindo um propósito maior. E o fazem de forma clara, transparente e autêntica afirma o estudo.

O estudo também rebate quem acha que o que importa é a intenção de compra, recompra e o valor que o cliente está disposto a pagar por um determinado produto/serviço. Para fazer o download do estudo, clique aqui. O estudo é bem amplo e completo, com informações que certamente vão auxiliar marcas a repensar seus propósitos.

Fonte: Estudo TIP
Fonte: Estudo TIP

Sobre Ricardo Queiroz

Ricardo Queiroz
Criador do portal Amplifique-se e apaixonado por comunicação e todos os poderes de transformação que a internet possui, formado em publicidade, amante do frio e cerveja. Desde 2006 trabalho como webdesigner, mas nos últimos anos fui conhecer o mercado offline, isso me ajudou a ter uma visão 360 em todo o processo criativo do meu trabalho. Fujo da rotina e da zona de conforto.

Check Also

Lollapalooza, música e marcas em experiências incríveis.

Fala, galera. O ano já começou faz tempo, o carnaval está ai e logo após ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *