21 de janeiro de 2018
Home | Cêviu | São Paulo recebe primeira edição do ProtoHack, confira o que rolou no evento!

São Paulo recebe primeira edição do ProtoHack, confira o que rolou no evento!

Alexandre Palles - Foto: Barbara Barioni
Alexandre Pellaes – Foto: Barbara Barioni

Oriundo do Vale do Silício, o ProtoHack desembarcou em São Paulo no último dia 29/10 para sua primeira edição, no espaço Engenho Maker dentro do instituto de Engenharia de São Paulo. O evento que é voltado para pessoas sem habilidades de programação mas que desejam tirar seus projetos do papel, contou com 10 equipes formada durante o evento, que em 12 horas trabalharam duro para ao final apresentar para o júri o resumo de suas idéias.

O dia foi cheio de atividades que contribuíram para que os participantes tirassem para a evolução de cada idéia. Alexandre Pellaes , sócio da 99 jobs e fundador da Exboss, abriu a sessão de palestras trazendo um assunto muito importante: o comprometimento com o negócio, sob o título “Desligue o fod@-se”, Alexandre inspirou e trouxe uma visão diferente para os participantes do mercado corporativo e um novo conceito sobre postura no dia a dia de um profissional.

Depois de uma palestra inspiradora, foi a hora de falar sobre softwares de prototipagem. Flavio Santana, designer e colunista no portal Design Culture falou sobre softwares de prototipagem, a importância do design no seu projeto e como aplicá-lo. Fundamental para o evento, afinal o ProtoHack não é focado em programação, mas o protótipo auxilia muito para equipe defender seu projeto aos jurados.

Eduardo Luz - Foto: Barbara Barioni
Eduardo Luz – Foto: Barbara Barioni

Dando continuidade na temática da prototipagem, Eduardo Luz, CEO da empresa de tecnologia Iasoft, ofereceu a palestra: Starting-up your prototype – Como ir da ideia ao protótipo – IASoft.  Discutindo a importancia do protótipo como elemento fundamental para começar a visualizar um projeto, além de ser importante para saber como ele pode ser criado e o que é preciso levar em consideração para fazer um bom protótipo.

José Marques - Foto: Barbara Barioni
José Marques – Foto: Barbara Barioni

Completando o ciclo de palestras, José Marques, consultor do SEBRAE, trouxe todo seu conhecimento para o evento palestrando sobre pitch com o tema: Aspectos cruciais para um bom Pitch, (assertividade, postura  e domínio do negócio). Esse foi o momento quando os participantes começarem a pensar na apresentação dos seus projetos e na forma de vencer a ansiedade e o  frio na barriga no momento em que os participante teriam apenas 90 segundos para defender seu projeto.

Após o ciclo de palestras os participantes fecharam suas equipes e começaram a maratona de fato, trocando ideias e pensando nos projetos que iriam apresentar. Com o suporte dos mentores, Raphael Mielle, marketing na indústria farmacêutica e criador do FarmaJato; Bruno Solferini, 14 anos de experiência em consultoria nas áreas de gestão, estratégica, mudança cultural e inovação e Andre Cassiano, Fundador e CEO da Escola de Negócios & Startups em modelo de negócio. Vivian Lima, gestora de marketing e vendas B2B com 14 anos de experiência e Mayumi Sato, diretora de marketing do Sexlog.com, em validação e marketing. Flavio Santana, Designer e colaborador da Design Culture e Bruno Moretti, diretor criativo da Blanko, em design. Fernando Tome, CEO e organizador de hackathons pelo circuito Startup e Edson Mackeenzy, empreendedor e mentor digital em pitch. Eles montaram seus projetos e apresentaram no final da noite para bancada de júri composta por: Elisabete Fernandes, consultora do SEBRAE SP, Juliana Glasser sócia fundador da desenvolvedora de software Carambola e do espaço Engenho Maker, Rodrigo Quinalha, investidor, mentor e conselheiro de diversas Startups, além de ser líder de inovação na KICK Ventures. Eduardo Luz, CEO da empresa de tecnologia Iasoft e Renato Prato co-fundador do Engenho Maker.

As 5 equipes finalistas apresentaram projetos bem diversos, no segmento de vestuário, serviço de moradia para geração baby boomer, reparos doméstico, distribuição de conteúdo por geolocalização dentro do metrô e aplicativo financeiro para classe C.

Catarina Gonsalves, Denys Stopa, Lucas Cipriano Renan Vasconcelos e Veronica Labolida
Catarina Gonsalves, Denys Stopa, Lucas Cipriano Renan Vasconcelos e Veronica Labolida

1o lugar: Equipe Closet
É uma plataforma que maximiza os looks do seu guarda roupa. Nela o usuário sobe fotos de suas peças de roupa e criar diversos looks. A plataforma permite que você compartilhe os looks criados com suas rede de contato dentro da plataforma.

Veronique Forat e Robson Camanducci Veronique Forat e Robson Camanducci

2o Lugar: Equipe Morar com você
Moradia compartilhada é uma tendência no mundo inteiro. Morar com Você é uma plataforma de match – making para encontrar outras pessoas com quem você tenha “afinidades” práticas e afetivas, para morar com sucesso de forma compartilhada.

Eduardo Luz, Rodrigo Quinalha, Elisabete Fernandes, Alberto Galvão, Claudio Gianturco, Renato Prado, Fernanda Donnini e Juliana Glasser.
Eduardo Luz, Rodrigo Quinalha, Elisabete Fernandes, Alberto Galvão, Claudio Gianturco, Renato Prado, Fernanda Donnini e Juliana Glasser.

3o Lugar: Equipe Info-VIA
O infovia tem a ambição de ser um canal de comunicação exclusivo dentro do Metrô e ambientes com grande fluxo de pessoas. Seu objetivo é disponibilizar informações e conteúdos sobre serviços de relevância à população, como postos de vacinação, campanhas de saúde, além da identificação destes nos entornos das estações.

4o Lugar: Moeda Fácil
Moeda Fácil: é um projeto de inclusão financeira que agirá em rede com os pequenos comércios e serviços em comunidades de alta informalidade. Através de uma plataforma virtual de serviços bancários e parcerias com ONGs de educação financeira, operará um processo gradual de atração, digitalização e formalização desse público.

5o Lugar: Proto-ID
Plataforma de solicitação de serviços de reparos domésticos emergenciais. Utiliza o conceito de geolocalização na busca do profissional e há a funcionalidade de classificação cruzada. Monetização se dá por leads e/ou serviços aceitos pelo profissional.

Conversamos com os integrantes da equipe Closet que contaram um pouco sobre o que acharam da primeira edição do evento no Brasil.

Veronica Labolida, 37 anos, Analista de sistemas do Banco Santander, disse: “Os mentores com certeza foram parte fundamental em tudo isso, eles nos incentivaram muito na geração de ideias, nos deram ótimos feedbacks, e insight muito interessantes, nos ensinaram a pensar grande mas começar pequeno e conceitos como MVP, o aprendizado foi enorme a amizade também.”

Para Catarina da Silva Gonçalves, 23 anos, estudante de Engenharia Química da Unicamp, “O ProtoHack foi um evento incrível, doze horas intensas com o aprendizado que levarei para toda vida. A organização do evento se preocupou em que os participantes interagissem o máximo entre si, permitindo um networking dinâmico e pude formar uma equipe com diferentes habilidades, que foi um dos pontos que garantiu a nossa vitória. Os palestrantes foram fundamentais para a minha aprendizagem, abrangendo temas como investimento anjo, validação de produtos e, principalmente, prototipagem.”

Lucas Cipriano, 23 anos, estudante de Marketing completou, ” Participar do ProtoHack foi incrível. Fui por indicação de uma professora de inglês, da minha universidade e não esperaria que pudesse me deixar tão realizado. A filosofia que o “novo método” Coworking traz, me da motivação. Integrar diversos profissionais em um só espaço me convenceu a abraçar a ideia do evento e sempre que houver oportunidade de participar de algum semelhante ou de outros ProtoHacks, sem dúvida eu estarei lá. Sem contar o Engenho Maker é exatamente o local que todos precisavam conhecer, aquilo fez nossas percepções irem além do que já conhecemos.”

Next Prev

_dsc0342

_dsc0314

_dsc0288

_dsc0412

_dsc0326

_dsc0320

_dsc0315

_dsc0406

_dsc0312 

Next Prev

Fotos: Barbara Barioni

Sobre Bárbara Andrade Barioni

Bárbara Andrade Barioni
Arquiteta e Urbanista tentando terminar um mestrado, vegetariana, mãe de gatos, viciada em comprar livros e mochileira nas horas vagas. Sente que sua missão é questionar.

Check Also

Legal Hack – O hackathon que pretende reduzir a morosidade do sistema judiciário brasileiro

Comece sua lawtech com R$ 8.000,00 + um mês no Coworking Spaces O setor judiciário ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *